Sábado, 29 de Março de 2008
por Daniel Oliveira
«Agora, o tema mediático, servido por um simpático Dalai Lama, caixeiro-viajante do império, é a «questão» tibetana, que visa apresentar a China, gigantesco país onde convivem há séculos muitas nacionalidades, como um Estado opressor, visando, pelo menos, estragar-lhe os Jogos Olímpicos. Se forem só os jogos... É que a União Soviética, destroçada também pela ingerência externa na convivência exemplar que soube construir, continua a ser um exemplo de como o imperialismo sabe ganhar com a desunião dos povos.»
Avante!

Nem discuto o conjunto do texto (que podem ler) e o que ele revela dos reflexos condicionados e da a ausência de reflexão sobre imperialismos, nacionalismos, direito à autodeterminação, diferentes formas de resistência e, já agora, do que foi o socialismo real e do que é o regime chinês. Fico por o bold que é de minha responsabilidade. Ouviram falar das deportações em massa? De povoamentos forçados para alterar a demografia de repúblicas inteiras? Das sanguinárias razias estalinistas? Se ouviram foram enganados. Nunca aconteceu. Tudo não passou numa «convivência exemplar».

Não tendo percebido o que se passou antes, é normal que no PCP não tenham percebido o que se passou com as ex-repúblicas soviéticas depois de 1989. E agora explica-se tudo pelo caminho mais fácil. De facto, ignorando a história quem pode ser lúcido a olhar para o presente? Não aprendendo com o passado, como pode o PCP não deixar de repetir o erro: o de apoiar mais uma ditadura imperial. E no caso, com uma pequena agravante para um comunista: uma ditadura imperial onde reina um capitalismo sem quaisquer direitos para os trabalhadores.
tags: ,

por Daniel Oliveira
link do post | comentar | partilhar

83 comentários:
Vítor
Já nada os distingue de uma seita de lunáticos.

deixado a 29/3/08 às 02:45
link | responder a comentário

Luis
O extracto que DO aqui sublinhou é dum texto assinado (Leandro Martins) duma sub-secção (Actual) da Secção (Opinião), do Avante de 27 de Março.

Sobre os acontecimentos no Tibete, a posição do PCP está expressa na sua declaração de voto na AR, igualmente em 27 de Março, como se pode ver aqui :

http://www.pcp.pt/index.php?option=com_content&task=view&id=31646&Itemid=120

De que destaco: (...) “É curioso aliás que continue a falar-se do Tibete como território ocupado pela China quando nem as potências que instigam e apoiam movimentos de orientação separatista que estão na origem das acções violentas, de que até o Dalai-Lama já se demarcou, põem em causa a integridade do território da República Popular da China, incluindo o Tibete como Região Autónoma.
Isso vem aliás acompanhado em geral de uma sistemática deturpação dos acontecimentos históricos. Seria preciso lembrar, para reintroduzir algum rigor, que desde o século XIII que o Tibete está unido, com diversos graus de autonomia à China, e que no início do século XX a região foi invadida pela Grã-Bretanha a partir da Índia. Seria até preciso lembrar que, à época da revolução popular chinesa, em 1949, vigorava no Tibete um regime feudal onde a maioria da população era constituída por servos e escravos, com uma forte concentração da terra e dos meios de subsistência, ou que o actual Dalai-Lama, antes de se assumir como dirigente do chamado governo no exílio, integrou ele próprio a 1ª Assembleia Nacional Popular da China que elaborou a constituição chinesa.
Neste processo invocam-se e inventam-se argumentos para justificar actuais e futuras linhas de confronto e de afronta ao direito internacional com origem nos mesmos de sempre, aqueles que já há cinco anos não se coibiram de também inventar a existência de armas de destruição em massa, como suporte de uma guerra que destruiu o Iraque e impôs incontáveis sacrifícios ao seu povo.
É por isso que assume especial importância neste caso o respeito pelo direito internacional, tantas vezes violado para dar lugar a acções de ingerência directa ou indirecta procurando impor interesses estratégicos e económicos. (...)”

PS: Dá para perceber a manobra do DO de pegar na árvore para esconder a floresta. Do que é que tem medo afinal o DO?

deixado a 29/3/08 às 10:02
link | responder a comentário

Justicialista
Mas queres um mundo multipolar ou unilateral? Às vezes, parece que é o melhor amigo dos americanos.

deixado a 29/3/08 às 10:04
link | responder a comentário

Luis
Ainda no Avante de 27 de Março, podem ler este artigo de Albano Nunes “Tibete hipocrisia imperialista” (Opinião) aqui:

http://www.avante.pt/noticia.asp?id=23987&area=24

De que sublinho o final “(...) São grandes os desafios que se colocam aos comunistas e ao povo da China. Mas os tempos de sujeição e humilhação nacional, tempos em que na própria China havia espaços cuja entrada era «proibida a cães e a chineses», esses pertencem ao passado. Não há hipocrisia que valha aos herdeiros das guerras do ópio e dos tratados desiguais que tanto sofrimento impuseram ao povo chinês.”

deixado a 29/3/08 às 10:12
link | responder a comentário

inocêncio
Bela achega ao Imperialismo Americano.Eis aqui alguém equilibrado.Pode falar dos massacres praticados em nome da 'democracia',da proliferação dos desperdícios radioactivos em forma de munições com o Urânio Emprobecido,do petróleo ao preço de 1 dólar o barril,das 750 bases espalhadas pelo mundo fora(nõ,não são da URSS).
Agora,está muito democrata para apoiar um anacronismo feudal da pior espécie.
http://www.michelcollon.info/articles.php?dateaccess=2008-03-20%2005:43:04&log=lautrehistoire

deixado a 29/3/08 às 10:34
link | responder a comentário

inocêncio
Mais,não quer vir expôr a história do dalai-lama,para as pessoas ficarem a saber?Está mais virado para o glamour do Richard Gere,da princesa não sei o quê;já vi o nonvo que o BE traz dentro se si...

deixado a 29/3/08 às 11:01
link | responder a comentário

Daniel, é evidente que os regimes chineses e soviéticos foram atrozes. Mas não é mau tentar perceber a verdadeira história por trás desta súbita «insurgência» tibetana:

Buddha's Warriors: The Story of the CIA-Backed Tibetan Freedom Fighters, the Chinese Invasion, and the Ulitimate Fall of Tibet (http://www.amazon.fr/gp/redirect.html?ie=UTF8&location=http%3A%2F%2Fwww.amazon.fr%25) (Os guerreiros de Buda – A história dos combatentes tibetanos da liberdade sustentados pela CIA), de Mikel Dunham (Penguin, 2004, 434 páginas), explica como a CIA transferiu centenas de tibetanos para os Estados Unidos, treinou-os e armou-os, lançou armas por meio de pára-quedas sobre o território, ensinou às pessoas como podiam utilizar armas de fogo estando a cavalo, etc.

Quanto ao simpático Dalai Lama, tem servido de facto como um caixeiro-viajante do império.

deixado a 29/3/08 às 11:12
link | responder a comentário

Diogo
Talvez, sendo só uma possibilidade, o PCP apoia ditaduras imperiais sendo estas comunistas. Cada vez é mais visivel que a foice e o martelo não são um meio para chegar a um fim, mas sim um fim indepentemente dos meios. É clarinho como a água

deixado a 29/3/08 às 12:06
link | responder a comentário

FSilva
Aqui se vê
o autismo do PC.
Infelizmente.

deixado a 29/3/08 às 12:32
link | responder a comentário

justicialista: multipolar e democrático. Sou internacionalista, não me é indiferente como vive cada povo.

deixado a 29/3/08 às 13:01
link | responder a comentário

Comentar post

pesquisa
 
TV Arrastão
Inquérito
Outras leituras
Outras leituras
Subscrever


RSSPosts via RSS Sapo

RSSPosts via feedburner (temp/ indisponível)

RSSComentários

arquivos
2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


2007:

 J F M A M J J A S O N D


2006:

 J F M A M J J A S O N D


2005:

 J F M A M J J A S O N D


Contador