Terça-feira, 24 de Março de 2009
por Daniel Oliveira
Soldados israelitas usaram um rapaz de 11 anos como escudo humano durante a guerra com o Hamas na Faixa de Gaza. No caso ontem mencionado na Comissão de Direitos Humanos da ONU, os soldados israelitas ordenaram ao rapaz que fosse à frente das tropas, que estavam a ser atacadas, num bairro da Cidade de Gaza, e fizeram-no ainda entrar em edifícios antes deles, numa altura de operações militares "intensas". O rapaz também recebeu ordens para abrir sacos de outros palestinianos antes de ser deixado pelos militares à entrada de um hospital, segundo a enviada da ONU para a protecção dos direitos das crianças, Radhika Coomaraswamy. Trata-se, acrescentou, de uma clara violação da lei israelita e internacional. O caso está descrito num relatório de 43 páginas ontem publicado, e foi uma de várias violações de direitos humanos pelo Exército israelita durante as três semanas de guerra em Gaza. "São apenas alguns exemplos das centenas de incidentes que foram documentados e verificados" por responsáveis da ONU no terreno, disse a relatora. "Houve violações todos os dias. São demasiadas para enumerar." (Público de hoje)

Dedicado aos que, durante a intervenção em Gaza, teimaram em olhar para este conflito como se fosse uma aventura de desenhos animados. À medida que "o trovão rompante de Israel como um Estado de apartheid" se aproxima, como escrevia Boaz Okon, colunista do diário israelita "Yedioth Ahronoth", mais infatins serão os porta-vozes do indefensável.


Imagem publicada no Blasfémias a 15 de Janeiro


por Daniel Oliveira
link do post | comentar | partilhar

66 comentários:
Daniel, tenha cuidado que o vão já acusar outra vez de estar a defender o Hamas...

deixado a 24/3/09 às 13:32
link | responder a comentário

Faz hoje 10 anos que a NATO começou a matança de 2500 pessoas na República Federal Jugoslava, em 78 dias de bombardeamento à revelia das Nações Unidas que resultaram na verdadeira limpeza étnica do Kosovo: 200 mil sérvios fugiram de um território que se tornou o mais parecido que a Europa tem com um narco-estado. Nenhum responsável da NATO foi levado a julgamento.

O problema das 'causas de estimação' é que, para além de serem abordadas com o coração e não com a razão, nos fazem esquecer crimes tão ou mais graves que têm a sorte de não serem tão mediáticos.

deixado a 24/3/09 às 13:41
link | responder a comentário

David Fernandes
Bem; ao que parece, desse lado sempre tinham mais hipótese de sobrevivência.

deixado a 24/3/09 às 13:54
link | responder a comentário

A.R.A
Já muito se falou da questão Israelo-Palestiniana e a verdade ou verdades de ambos os lados da barricada têm tido sempre o mesmo resultado, as mortes e a contagem das mesmas.

Na realidade os nº's do lado Palestiniano primam pela numerosa chacina em comparação com os do lado Isarelita embora isso não seja um factor preponderante na atribuição da razão ou, até mesmo, na irracional maneira dos mesmos (palestinianos) combaterem o invasor (israelitas)

Mas se ao longo dos tempos, Israel, encabeçando um exercito poderoso lutava com armas de tecnologia superior contra um inimigo medieval quanto aos meios e vontades, infligindo numerosas baixas devido a essa diferença abismal belicamente falando, acaba por fim a demonstrar-se também ele (exercito israelita) exactamente com a mesma vontade de idade-média em liquidar aqueles que os proprios apelidam de barbaros.

Essa mudança de estrategia acaba portanto por ser ainda mais perigosa pois se uma pessoa simples e sem estudos tem o seu perigo com uma arma na mão, uma pessoa informada e com estudos utilizando os seus conhecimentos para a barbarie passa, então, para um nivel de autentica perversidade numa guerra já de si suja o bastante para constar nos anais da Historia bélica da humanidade.

Parafraseando Mahatma Gandhi para ilustrar este conflito que já se vai tornando secular com as constantes trocas de acusações e retaliações, Gandhi chegou a afirmar o seguinte:
"Olho por olho, e o mundo acabará cego"

Ou para aqueles que acham o que de bom para o "povo" judaico o seu suposto retorno a terra prometida trouxe, tambem podemos parafrasear Gandhi com a seguinte citação:
"Um homem não pode fazer o certo numa área da vida, enquanto está ocupado em fazer o errado em outra. A vida é um todo indivisível"

Aquele Abraço
A.R.A

deixado a 24/3/09 às 14:27
link | responder a comentário

Será isto tão verdade como a história dos ataques a uma escola da ONU, relatados pelos mesmos responsáveis?

deixado a 24/3/09 às 16:56
link | responder a comentário

Parafraseando Mahatma Gandhi

Olhe que Gandhi, embora não se possa dizer, considerava as mulheres, incluíndo a própria como gente de terceira categoria e cultivava a distinção entre as várias raças e religiões indianas.
Tinha aliás hábitos de comida muito severos em relação á sua crença e esteve quase a morrer por acreditar mais em Deus (no dele claro) do que nos médicos.

deixado a 24/3/09 às 17:21
link | responder a comentário

Pinto
Vejam como são os portugueses:


"Carlos Rosa, 25 anos, roubava para alimentar o vício da droga. Acabou apanhado pela GNR e levado ao comandante. A pistola de José Santos fez fogo no calor do interrogatório e, enquanto Samuel omitiu o crime, Castelo Branco ajudou a esconder o cadáver – embrulhado num cobertor e levado de carro para um descampado na Quinta da Apelação.
O sargento Santos usou uma faca de mato para cortar o magro pescoço de Carlos Rosa, até o decapitar. Deixou o cadáver coberto com ramos e levou a cabeça de volta para o posto onde, com uma chave de fendas, tentou tirar a bala comprometedora. Não reparou que a munição atravessou o crânio da vítima e se foi alojar numa porta de madeira.
Horas depois, o sargento abandonou a cabeça em Chelas, Lisboa, atirou a faca ao Rio Trancão e deitou o cobertor ao Tejo. O esforço foi em vão: a 16 de Maio, dez dias depois, um pastor encontrou o cadáver."
(http://invirtus.net/in/story.php?title=Libertado-GNR-que-decapitou-suspeito)

deixado a 24/3/09 às 20:51
link | responder a comentário

Pinto
Em Israel, tal como em qualquer democracia desenvolvida, os SUSPEITOS do que o Daniel escreveu serão julgados em Tribunal.

Já na Palestina ...
Por falar nisso, em que fase estará o processo de apuramento de responsabilidade destes (http://blasfemias.net/2009/01/04/o-que-e-o-hamas/#comments) "homens"?

deixado a 24/3/09 às 20:59
link | responder a comentário

É um escândalo! No dia em que os israelitas começam a usar os mesmos escudos que os palestinianos, é porque a coisa começa a estar mesmo mal.

deixado a 24/3/09 às 21:30
link | responder a comentário

A.R.A
FADO ALEXANDRINO

Mas o que é que o cú tem a ver com as calças?

A.R.A

deixado a 24/3/09 às 21:33
link | responder a comentário

Comentar post

pesquisa
 
TV Arrastão
Inquérito
Outras leituras
Outras leituras
Subscrever


RSSPosts via RSS Sapo

RSSPosts via feedburner (temp/ indisponível)

RSSComentários

arquivos
2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


2007:

 J F M A M J J A S O N D


2006:

 J F M A M J J A S O N D


2005:

 J F M A M J J A S O N D


Contador