Sábado, 4 de Dezembro de 2010
por Sérgio Lavos

O previsível terramoto provocado pelas últimas revelações do WikiLeaks está a começar a ter proporções imprevisíveis, que seguramente irão agravar-se com as próximas informações sobre um "grande banco" americano. As reacções têm sido surpreendentes, e é curioso verificar como os E. U. A., suposto bastião da liberdade de expressão, e a China se aproximam: a Casa Branca proibiu o acesso dos seus funcionários ao site e a China bloqueou-o, pura e simplesmente (via Ana Cristina Leonardo). Também Joe Lieberman, o Democrata com coração de Republicano, exortou à perseguição de Julian Assange, num gesto certamente apreciado pelas gentes do Irão, a fazer lembrar outras fatwas. Se é verdade que podemos questionar a relevância do que agora foi revelado, sempre achei que os valores ocidentais se regiam pela garantia das liberdades, em qualquer situação. O trabalho de Assange, ainda que politicamente motivado, é essencial para se perceber até que ponto os valores de que tanto nos orgulhamos são mesmo para levar a sério. Pelo que se tem visto, há bastantes razões para desconfiar desta premissa. A exortação de Lieberman já levou a que a empresa onde o site estava alojado tenha terminado o contrato com Assange, e o mesmo parece vir a acontecer em França. Noutra frente, os detractores do australiano insistem na acusação pendente na Suécia e no suposto mandato (que não é) da Interpol, apelidando-o de violador para cima, quando a acusação se limita a ser "sex by surprise", um crime original, exclusivo daquele país, e que se prende com o facto de duas mulheres afirmarem que Assange teve sexo consensual com elas sabendo que o preservativo estava rasgado. Transformar isto em violação seria ridículo, se não fosse vergonhoso (veja-se este post histérico no Blasfémias, para se perceber do que falo).

 

Tempos difíceis, estes, para conceitos tão sagrados como liberdade de expressão e de imprensa (não nos esqueçamos de que o conteúdo dos telegramas foi publicado em vários jornais de referência). Só por isto, por se provar como é frágil a ideia de democracia, já valeu a pena o esforço de Assange.


por Sérgio Lavos
link do post | comentar | partilhar

49 comentários:
Fado:


é óbvio que há muita palha nos telegramas, e por isso mesmo eu ponho em causa a relevância do que foi divulgado. Mas quanto a isto, duas coisas: o conteúdo dos telegramas foi entregue a jornais de referência no mundo inteiro, e a eles deveria gter cabido a filtragem desse conteúdo; por muita coscuvilhice que os telegramas contenham, acho que qualquer reacção que vise censurar a liberdade de informação e de expressão é pior do que o acto de divulgar. E olhe que opiniões pessoais dos embaixadores sobre líderes mundiais, quando emitidas por via oficial (é o caso), é assunto de interesse público. 


Carlos Marques
Se fossem conversas com o nosso PM, sobre assuntos de interesse público como forçar o fim de um telejornal incómodo, logo haveria quem se indignasse, ou tivesse as costumeiras e cirúrgicas "dúvidas", pela publicação, alegando até quebra de direitos cívicos.

Assim, como é contra os gringos, já vale tudo em nome da liberdade de expressão.


simon
Se fosse contra o Irão, a China, a Rússia, a Coreia do Norte... aqui-de-el-rei que era tudo mentira e nem os USA incorrem na difamação, "Assim, como é contra os gringos, já vale tudo em nome da liberdade de expressão." Carlos Marques
E ainda há destes apanhados de todo, nos tempos que correm da evolução.


Nightwish
Mas vocês gostam de criticar homens de palha ou estão-se a queixar de alguém em concreto?

deixado a 5/12/10 às 03:40
link | responder a comentário | início da discussão

Carlos Marques
Não pecebi, mas é normal - percebo tanto os tripeiros como os macacos.

deixado a 6/12/10 às 21:00
link | responder a comentário | início da discussão

Muito obrigado a ambos.


 


Penso que no fundo vindo de ruas diferentes concluímos na mesma avenida ou seja que a súmula do divulgado é pura chicana e pior ainda afecta apenas um dos concorrentes ao prémio "Maior Trafulha Internacional", prémio onde as monarquias da Rússia e China deviam ter assento por mérito próprio, mas aí já sabíamos que os senhores divulgadores não arriscavam uma pena de prisão por violarem uma sueca (dá para rir) mas sim a cabeça de cima.


 


Quando à greve dos controladores, se fosse eu ou o Reagan a mandar simplesmente estavam amanhã na cadeia.


Trabalhei em aviação, levantar-se da cadeira quando um avião se encontra em fase de aproximação á pista é crime.


Devia ser punido como tal.


 


Voltando à questão inicial, os jornais são rápidos a divulgar tudo aquilo que lhes vende papel  e que não os afecte. Lembro-me que um dia um jornalista suicidou-se atirando-se da ponte Vasco da Gama.


Se fosse outra pessoa tinha dado para três edições.


Assim passou apenas no rodapé.



da Maia
fado: acredita que os aviões estavam a aterrar e os controladores saíram, assim... e nas calmas.  Mais facilmente acredito no Pai Natal do que acredito nessa versão.
O problema é que é um crime prestar falsas declarações, e os governos vão fazendo disso um modus vivendi, impunemente.


Obrigado.

O que escrevi vinha descrito num jornal espanhol de prestígio, o El Mundo que tem aliás uma edição on-line irreprensível.
O que me leva a dizer, ou se acredita nos jornais e jornalistas o que parece estar a acontecer neste caso ou não.

Cada um faça a sua escolha.


da Maia
fado:
tem toda a razão, é uma questão de escolha e de memória... basta lembrar como no caso do 11 de Março a imprensa espanhola alinhou ao lado da versão ETA... e em geral nestes casos a imprensa espanhola fica um mero diário do governo.
A cena de ver centenas de controladores irresponsáveis, borrifando-se para se os aviões caíam ou não, é demasiado surreal, mesmo para argumento de telenovela. 
No entanto, os governos já recorrem a argumentistas de 3ª categoria infantis, e por isso estas cenas e histórias são pouco credíveis.

deixado a 5/12/10 às 13:18
link | responder a comentário | início da discussão

Comentar post

pesquisa
 
TV Arrastão
Inquérito
Outras leituras
Outras leituras
Subscrever


RSSPosts via RSS Sapo

RSSPosts via feedburner (temp/ indisponível)

RSSComentários

arquivos
2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


2007:

 J F M A M J J A S O N D


2006:

 J F M A M J J A S O N D


2005:

 J F M A M J J A S O N D


Contador