Terça-feira, 23 de Agosto de 2011
por Sérgio Lavos

Estava para traduzir este texto de Slavoj Zizek, mas a Joana Lopes fez o favor de deixar um link para uma tradução brasileira. Apenas para quem gosta de ir um pouco além de leituras simplistas. Um excerto:

 

"Por sua vez, os liberais de esquerda, não menos previsíveis, agarraram-se ao seu mantra sobre programas sociais e iniciativas de integração, as quais, negligenciadas, teriam privado a segunda e terceira gerações dos imigrantes de suas possibilidades econômicas e sociais: explosões de violência seriam o único meio que ainda têm para articular a insatisfação. Em vez de nos permitir embarcar indulgentemente em fantasias de vingança, devemos nos esforçar para entender as causas profundas dos atos de violência. Saberíamos nós o que significa ser jovem em área pobre racialmente “complexa”, ser considerado suspeito a priori nas batidas policiais, sempre agredido por policiais, não só desempregado, mas muitas vezes, inimpregável, sem esperanças de futuro? A implicação é que as próprias condições em que essas pessoas encontram-se tornariam inevitável que tomassem as ruas. 
O problema dessa narrativa é que só lista as condições objetivas dos tumultos. “Agitar”, “tumultuar” seria fazer uma declaração subjetiva, declarar implicitamente como alguém se relaciona com as próprias condições objetivas de vida.
Vivemos tempos cínicos. Não é difícil imaginar um agitador que, apanhado quando saqueava e incendiava uma loja e interrogado sobre suas razões, responda usando a linguagem dos sociólogos e assistentes sociais: que fale de menor mobilidade social, insegurança crescente, desintegração da autoridade paterna, carência de atenção materna na infância. Ele sabe, portanto o que faz, mas mesmo assim faz.
É perda de tempo ponderar qual dessas duas reações, a conservadora ou a liberal, é a pior: como Stálin diria, as duas são piores, e isso inclui o alerta que os dois lados dão, de que o real perigo dessas explosões está na previsível reação racista da “maioria silenciosa”." 
tags:

por Sérgio Lavos
link do post | comentar | partilhar

28 comentários:
JORGE SILVA
Tretas! E mais tretas! E muita poesia à mistura... e um discurso demagogo até ao tutano!
Sabe uma coisa? Começo a não ter paciência para esse blá-blá, pois o que me interessa são as consequencias desse mesmo blá-blá!!! E ando farto dessa mesma conversa para entreter líricos! O que você sabe, ou diz saber, já a mim me esqueceu. Já passei por essa fase meu caro. Hoje encontro-me noutro patamar bem mais real!

Mas uma coisa lhe digo. Não fale da emigração portuguesa porque que se saiba os portugueses para todos os lados para onde foram, são trabalhadores, pacíficos e cumpridores da lei e NÃO SE IMPÕEM CULTURALMENTE A NINGUÉM!!!!
Será que sabe as diferenças?


Anónimo

Mas estás a duvidar dos factos apresentados da história do Reino Unido? E da curvatura da Terra também queres duvidar?
Se nem os factos apresentados queres discutir que mais quer? Que te faça desenhos e te explique o que a sua mente com 5 anos de maturidade não consegue ainda decifrar? Pelo menos aprende a argumentar, apresenta factos que corroborem a tua opinião e não apenas a tua opinião. Os teus argumentos resumem-se a “tudo o que dizes são balelas, é isso que penso e por isso os teus argumentos não têm sustentação” (já vi crianças na escola com melhor capacidade de argumentação)


Não eras tu que assinavas de cruz que os “outros” que vinham de “culturas atrasadas” precisavam de ser educados quando vinham para a “verdadeira civilização”? Pimenta no cu dos outros é refresco. Olhe, não sei em que planeta esquizofrénico vive mas ainda não me cruzei com ninguém na rua que me tentasse impor nada a não ser material contrafeito e balelas acerca do fim do mundo (testemunhas de Jeová, o pão nosso de cada dia por aqui). Há quem veja comunas comedores de crianças em todas as esquinas, há quem veja escuros de turbante que querem impor não sei bem o quê (óculos de sol marroquinos? comida indiana?) 24h por dia na TV (já experimentou mudar de canal?).
E de facto deve viver mesmo num qualquer outro mundo para ter tal visão simplista dos portugas: quando vão lá para fora são trabalhadores, blá blá blá (quando estão em Portugal são uns calões e preguiçosos). Como se não existissem criminosos de todos os credos, cores e nacionalidades em todo o lado…
Como estou a ver que determinados adjectivos lhe fazem reagir qual cãozinho de Pavlov, vamos experimentar outra via, procure no dicionário os sinónimos de “aversão a estrangeiros” (de cor de pele diferente de preferência) e “afirmação de que determinadas nacionalidades/raças/whatever são “superiores” a outras”. Não volte cá sem o TPC feito senão não se continua com a lição. E não esquecer o que lhe receitaram, um capítulo por dia do manifesto 2083.


JORGE SILVA
Não há nada a fazer para mentalidades como a sua. A demagogia continua e, é claro, os rótulos também! Fiquei a saber que tenho aversão a estrangeiros (não sabia), fiquei também a saber que considero determinadas raças superiores a outras (também não sabia) e fiquei a saber também que esta Europa caminha fortemente para o paraíso terrestre e não para a decadencia! Fico também a saber que você precisa de óculos e de sair do seu casulo/treta. Mas fico essencialmente a saber o que já sabia: as pessoas que aplicam o seu discurso não só são coniventes como são essencialmente culpadas em termos ideológicos de toda esta situação (e isso já eu sabia e confirmo)!


Anónimo
Das duas uma, ou deixa de escrever opiniões e começar a comentar factos ou então apresente as suas opiniões e sustente-as com algo.
Demonstrei que as zonas pobres de Londres têm problemas que duram há décadas e não estão relacionados com religiões ou nacionalidades das pessoas. Pessoas de diferentes religiões/nacionalidades instalam-se e saiem de lá, as comunidades mudam constantemente e os problemas continuam iguais. Portanto estes problemas nada tem a ver com religião e/ou nacionalidades específicas. Como tal, é extremamente redutor e falacioso colar isso a "culturas atrasadas". 
Se você considera uma cultura como sendo atrasada  está a considerar outra superior a essa. Já viu onde queria chegar? Se não quer admitir isso, problema seu.Se não gosta do que vê no espelho, a culpa não é de espelho.
Acusa-me de demagogia e usa-a em tudo o que escreveu antes pois está a usar emoções, receios, ideias feitas,etc. das pessoas ao berrar qual pita histérica contra os "outros" para passar as suas ideias. Vai daí, esse receio do que é diferente é... não preciso de me repetir.
Cá fico à espera dos seus argumentos (factos e opiniões baseadas em factos e/ou estudos) ou vai continuar com a cassete da demagogia, tretas e historinhas?


JORGE SILVA
Onde é que eu disse que existem culturas superiores e outras atrasadas??? Sabe uma coisa? Não considere as pessoas por aquilo que não sabe!!! O discurso é sempre o mesmo: acusações de racismo, xenofobia e de extremismos de direita, de fascista, salazarista e o pénis.! Mas outra coisa também lhe digo: as pessoas como você um dia ainda hão de se arrepender e TER VERGONHA pelo modelo de sociedade que ajudam a construir!  Um dia sim... quando vocês próprios começarem a ser vítimas a levarem com porcaria e com o lixo político que produzem e deixam produzir!
Um dia hão de ter vergonha!

deixado a 28/8/11 às 23:08
link | responder a comentário | início da discussão

Comentar post

pesquisa
 
TV Arrastão
Inquérito
Outras leituras
Outras leituras
Subscrever


RSSPosts via RSS Sapo

RSSPosts via feedburner (temp/ indisponível)

RSSComentários

arquivos
2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


2007:

 J F M A M J J A S O N D


2006:

 J F M A M J J A S O N D


2005:

 J F M A M J J A S O N D


Contador