Sábado, 10 de Setembro de 2011
por Sérgio Lavos

Depois de há dias o director do I, António Ribeiro Ferreira, ter escrito um editorial onde afirmava que se deveria "partir a espinha" aos sindicatos, esse veneno que empesta o ar puro do neoliberalismo que respiramos, ontem ainda conseguiu ir mais longe, escrevendo um dos mais cretinos panfletos anti-islâmicos - e, já agora, anti-Obama, destilando ódio em cada sílaba do texto - já publicados na imprensa portuguesa - e deve-se dizer que, ao longo dos anos, a concorrência tem sido grande. Será que o Tea Party já abriu uma delegação em Portugal? Ou será Ribeiro Ferreira um dos trabalhadores a quem o novo dono do jornal, a quando da aquisição, prometia não pagar, sendo a sucessão de textos alimentados pelo ódio difuso uma consequência da nova política laboral?


por Sérgio Lavos
link do post | comentar | partilhar

32 comentários:
Manuel

Katulo:


A distracção é fatal (tanto para a Direita como para a Esquerda) e o senhor anda distraído.


Por princípio nunca insulto ninguém, nem trato ninguém por tu sem o conhecer, mas quando me fazem isso reajo sem dó nem piedade.


O que eu mais vejo é cegueira ideológica na análise dos Posts. E dos dois lados, não só de um.


Quanto a insultos, guardo muitos no currículo, de gente que não me conhece, não sabe que sou nem a minha verdadeira filiação ideológica (sou demasiado independente para nunca ter pertencido a nenhum partido nem votar em ninguém há muitos anos, voto branco).


Mas as pessoas funcionam por dicotomias, branco/preto, Esquerda/Direita, etc. Quem não se encaixa imediatamente numa categoria é forçosamente de outra.


Veja o que comentei no Post «Humilhação» sobre o comentário de Gentleman e depois diga-me quem insulta quem, quem começa e a que pretexto.


Pura cegueira ideológica, pois sou classificado de iluminária por coisas que não disse.



Katulo
Como?? Quem começou com os insultos está bem visível nesta mesma página. É só olhar um pouco mais acima:


«Se a estupidez pagasse imposto tínhamos o problema do défice e da dívida resolvido.
E o senhor era dos que mais contribuiria para a nossa salvação.
 Ou então calava-se, o que não faz porque lhe sai barato asneirar.»


Este seu comentário, tal como os que se seguiram, representa o grau zero da argumentação. É manifesto o deficit de racionalidade.

deixado a 12/9/11 às 00:45
link | responder a comentário | início da discussão

Comentar post

pesquisa
 
TV Arrastão
Inquérito
Outras leituras
Outras leituras
Subscrever


RSSPosts via RSS Sapo

RSSPosts via feedburner (temp/ indisponível)

RSSComentários

arquivos
2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


2007:

 J F M A M J J A S O N D


2006:

 J F M A M J J A S O N D


2005:

 J F M A M J J A S O N D


Contador