Quarta-feira, 11 de Julho de 2012
por Sérgio Lavos

 

O Luís M. Jorge fez o favor de postar este vídeo que explica o buraco em que estamos metidos e a forma como actua a mafia que nos governa. É verdade que os quatro especialistas em economia e fiscalidade são perigosos esquerdistas - José Gomes Ferreira, Paulo Morais, Tiago Caiado Guerreiro e Armando Esteves Pereira - e por isso o vídeo foi produzido clandestinamente numa gruta para os lados de Celorico de Basto. Com um pedido de paciência aos nossos leitores de direita, mais sensíveis a este tipo de gente, aconselho a verem até ao fim, vale mesmo a pena. Assustador.


por Sérgio Lavos
link do post | comentar | partilhar

54 comentários:
Anónimo
Ui! E não há aqui mão da Isabelinha dos Santos? É de espantar, visto que, ultimamente, não há festa nem festança onde não apareça a Constança... E quem sai amachucado do símile: as elites deste nosso lindo país, ou os sicilianos?

deixado a 11/7/12 às 23:49
link | responder a comentário

Carlos Marques
Isto não foi na semana passada?
Foi, que eu vi.
Volto a dizer, por exemplo: em França, o Sarko já teve a casa revistada... Aqui há uma casta de intocáveis no sentido de que ninguém os apanha.

deixado a 12/7/12 às 00:21
link | responder a comentário | discussão

JEM
Totalmente de acordo. A maçonaria domina a magistratura e o ministério público.


Ninguém no Ministério Público fica intrigado que um político que declarou não ter poupanças e que abdicou de todas os seus rendimentos em Portugal, possa estar a viver na zona mais cara de Paris. Ninguém investiga?


E foram precisos tantos anos para começar a investigar o desastre das PPP do estudante de filosofia?


E o processo do Oliveira e Costa e companhia vai demorar quantos mais anos? O Madoff em menos de 6 meses estava preso e com todo o património liquidado.






Carlos Marques
O Madoff, o irmão do Madoff, a sobrinha, os fillhos (um suicidou-se), a mulher, os colaboradores mais directos, etc.

Nos Estados Unidos usam escutas, vigilância, fazem acordos com testemunhas, etc.

Lá há equidade real.  

deixado a 12/7/12 às 08:55
link | responder a comentário | início da discussão

Joe Strummer

A familia de Socrates já tinha meios antes de ele estar na politica. No entanto ninguem o impede de fazer uma denuncia no MP e dar o passo consequente às suas preocupações.


O caso Madoff não tem qualquer pararelismo com o BPN. Madoff foi um esquema em pirâmide semelhante ao da D. Branca. Semelhante ao BPN talvez o Lehman Brothers e outros. Veja quem está atras das grades.


O Socrates é um aldrabão mentiroso e corrupto, que vive às custas da mãe...


Joe Strummer

Podes não acreditar Antonio, mas o que eu admiro em ti é essa tua coragem e a capacidade de dizeres coisas novas todos os dias. É simplesmente espantoso.

deixado a 12/7/12 às 12:34
link | responder a comentário | início da discussão

JR
BEM COMO O PASSOS MENTIROSO ALDRABÃO SÓ QUE NÃO VIVE A CONTA DA MÃE. 

deixado a 12/7/12 às 14:54
link | responder a comentário | início da discussão

Joe Strummer

Em adenda à questão de ontem relativa ao crescimento das exportações, informo que no mês de Maio de 2011 houve um crescimento de 16,4%  das exportações contra o 8,4% em 2012. Isto quer dizer que existe homologamente uma desaceleração das exportações e que se reflectirão no valor total anual conforme previsão do BdP.
São numeros, não fantasias e manipulações à volta deles.


JEM
fonte e link?


Joe Strummer

No INE, obviamente. Mas vai ter que procurar, foi o que eu fiz  e é o que lhe compete.

deixado a 13/7/12 às 07:56
link | responder a comentário | início da discussão

JEM

Muito bom.


Mensagens chave:

- As PPP do Socialista Sócrates são uma vergonha de favorecimento a grupos privados


- A diminuição dos juros dos certificados de aforro foi uma anormalidade que favoreceu os grupos privados (e cuja diminuição de juros foi feita pelo Socialista Sócrates)


- O nível de impostos sobre a classe média é insuportável. Por cada 100 eur, a classe média entrega ao Estado cerca de 75. Já não ha espaço para mais impostos.


- O Estado tem uma dimensão insuportável para o tamanho da economia, tem que se cortar nos gastos do Estado. Dinheiro para institutos e fundações públicas e privadas deviam ser cortados profundamente


- Existem pressões de grupos privados para o estado gastar ainda mais dinheiro, sob uma capa socialista de investimento público, que levaram o Estado a desbaratar o dinheiro dos nossos impostos que foi parar às mãos de poucos



- EDP é um Estado dentro de um Estado


- Existe uma enorme promiscuidade entre grupos privados, em particular escritórios de advogado, e os grupos partidários de poder


- Em Portugal os reguladores não cumprem a sua função


- Existe uma proliferação de legislação e de regras fiscais que tornam o sistema muito opaco


- De 2000 a 2010 Portugal desceu 10 lugares no ranking da corrupção (achega meu, a quebra foi principalmente nos anos do Socialista Sócrates)




Concordo com tudo. 


Os últimos 15 anos de governação (quase exclusivamente socialista), em especial os últimos 6, foi um fartar à vilanagem, que favoreceu muito grupos privados. Temos um Estado gigantesco e impostos insuportáveis.


Os corruptos andam atrás dos partidos que vão para o poder (sempre foi assim, sempre será assim, qualquer cor, qualquer ideologia).


Mantêm-se mercados regulados que permitem a formação de oligopólios. Se quebrassem as EDP's e Galps numa lógica anti-trust, poderíamos ter concorrência a sério com vantagens de diminuição de preços.


Os investimentos em infra-estruturas regra geral são uma forma de passar riqueza dos cidadãos para grupos privados de construção, como a Mota Engil. Já temos auto-estradas, aeroportos e rotundas que cheguem.

deixado a 12/7/12 às 00:26
link | responder a comentário | discussão

Algum dia teria de ver qualquer coisa aqui com a qual estivesse absolutamente de acordo. Só uma ressalva: deve estar com algum problema de som no seu PC, porque aparentemente escaparam-lhe as referências à renegociação da dívida pública, todos os nomes dos partidos do Governo mencionados pelo Paulo Morais e feroz crítica à falta de vontade do actual executivo em mudar este estado de coisas. Aconselho-o a visitar um técnico qualquer que instale um programa anti-partidarite no aparelho.


JEM
Ouvi todas as referências, meu caro.


Mas vá ver quem baixou os juros dos certificados de aforro para o dinheiro voar para os bancos... 


Não tenho dúvida que haja muita gente no PSD e CDS com falta de vontade de mudar as coisas.


Mas tenho alguma fé nos independentes. 


Já prometeram cortar em 30% as rendas das PPP rodoviárias. Vamos ver o que fazem. Desconfio que vamos ter notícias em breve, que a Edifer e Ascendi estão prestes a baixar a bolinha e a aceitar cortes valentes.


Agora o Sérgio Lavos defender mais obras públicas quando já se viu ao bolso de quem vai parar o dinheiro... só por ingenuidade


Pois, mas aí é que se engana. Neste momento, não defendo quaisquer obras públicas (a não ser as de manutenção de serviços e estruturas já existentes). Normalize-se as contas primeiro, depois voltemos a pensar nisso. Aliás, talvez não se lembre, mas eu por mais de uma vez critiquei aqui o modelo de desenvolvimento fontista, baseado no betão, primeiramente adoptado por Cavaco Silva e depois prosseguido por todos os Governos que se seguiram. Rapidamente o que era essencial e premente - o desenvolvimento das infraestruturas do país - se transformou em oportunidade de negócio para privados que gravitam e parasitam o Estado. Além disso, sempre achei que menos asfalto e maior desenvolvimento das vias ferroviárias teria sido um modelo muito mais equilibrado e menos dispendioso.


JEM
Yep! Já estamos de acordo com 2 coisas  : )

deixado a 12/7/12 às 01:15
link | responder a comentário | início da discussão

Nuno
Não quero vir aqui defender o Aníbal, mas comparar a política de betão rodoviária dele com as seguintes é um pouco injusto...
Quando ele era 1º Ministro, Portugal PRECISAVA de uma rede  de auto-estradas decentes... o que se fez posteriormente foi um conjunto sem nexo de vias, umas redundantes, outras claramente sobredimensionadas para o tráfego que têm, e virão a ter!
Isto não invalida que a política ferroviária seguida desde o início do Cavaquismo tenha sido errada... desde o desmantelamento de linhas, à supressão de horários, até às famigeradas "obras" da via do Norte...

deixado a 12/7/12 às 17:47
link | responder a comentário | início da discussão

João.

"Em Portugal os reguladores não cumprem a sua função"

Sim, não só em Portugal note-se. Mas é por isso é que a direita quer deixar ao público a regulação e o resto ao privado. Como a regulação não funciona...já se está a ver o que quer realmente dizer essa proposta de deixar ao público a essencialmente a função reguladora.

A insistência na maçonaria como culpada, como leio em alguns comentários, a meu ver apenas desvia as atenções de quem realmente anda a abusar - PS/PSD/CDS e os seus empregadores, o grande capital.

Devemos ler aqueles que insistem na culpa da maçonaria como simpatizantes do arco-da-governação, já que a culpa sobre a maçonaria serve para desculpar esse mesmo arco.

deixado a 12/7/12 às 04:14
link | responder a comentário | início da discussão

Ah, e o mercado dos combustíveis foi desregulado em 2003. E o da energia também acabou de ser. Talvez não tivesse conhecimento disto, por isso o informo.

deixado a 12/7/12 às 00:52
link | responder a comentário | discussão

JEM
Caro, precisamos de leis anti-trust, que partam os oligopólios.


Quando 2 ou 3 empresas têm 90% do mercado, os preços são inevitavelmente combinados. Se tivermos 10, não conseguem combinar o preço.


Parta-se a EDP e a GALP em várias empresas, como fizeram com as big sisters, e vai ver os preços a descer.


OK, com isso concordo. Mas tendo o Estado vendido ao Estado chinês a sua fatia, já não vai ser possível fazer isso com a EDP. Com a Galp, será difícil, sobretudo porque a vontade não existe. E voltamos à mesma conversa de sempre. 


JEM
Havia um homem a sério que era capaz de fazer isso, Abel Mateus.


Obrigou a partir a PT. Se hoje há alguma concorrência (ainda que pudesse ser maior) nas telecomunicações, entre zon e meo, foi graças a ele.


Mas o homem era inconveniente porque era íntegro e corajoso, e destruía as empresas do regime (para bem dos consumidores, e para mal dos políticos que tinham que colocar os Rui Pedro Soares). 


Então o grande estudante de filosofia pô-lo na alheta. O banqueiro pinho que estava na economia chamou um tipo banana que ele controlava, o sebastião (que o tenho por sério, mas é um banana), e nunca mais ninguém afrontou os grandes oligopolistas.


Vamos ver se o vítor gaspar tem força dentro do psd para criar uma autoridade da concorrência a sério. 


Mas por uma questão táctica, enquanto estiver em curso o programa de privatizações, acredito que não o faça. Se não baixa o preço das empresas que está a privatizar.

deixado a 12/7/12 às 01:14
link | responder a comentário | início da discussão

Anónimo

Sim, sim... o país é um monstro e a população imensa, de maneira que dá para ter uma EDP e uma GALP em cada freguesia. Penso até que os grupos recreativos e desportivos se poderiam candidatar à exploração de uma GALPzinha ou de uma EDPzinha. Veríamos os preços a baixar e a comodidade os clientes a aumentar: tal como iam os putos do antigamente buscar meio litro de leite à vizinha, assim iremos nós, de vasilhame na mão, buscar aguinha à barragem da esquina ou buscar gasolina à refinaria do bairro. Um luxo, meus amigos, um luxo!


Uma EDP em cada freguesia é uma boa ideia, ou até em cada casa. De resto, é o futuro se quisermos ter futuro. A verdadeira liberalização do mercado energético só chegará com a microgeração e a generalização de formas renováveis, limpas e locais de produzir e armazenar energia. 
Faz é sentido haver uma EDP/REN para fazer uma gestão macro da distribuição e providenciar sistemas de compensação e backup.


Com micro geração e avanços nos veículos eléctricos, a Galp perderia importância para o público em geral, ficando fornecedora de grandes empresas de transporte, da TAP e pouco mais. 


Não fossem as forças contra, e em 10 anos estávamos lá, imagino.

deixado a 12/7/12 às 12:20
link | responder a comentário | início da discussão

JEM
O negócio da electricidade tem 3 grandes fases: produção, distribuição e comercialização.

Só a distribuição é um monopólio natural.

A produção pode (e está) a ser feita por várias empresas e por várias tecnologias. Não é necessário ser a EDP a proprietária de todas as principais barragens e centrais. Pode ser partida em 2 ou 3 empresas que concorrem entre si para fornecer a energia mais barata. E garantir que a jusante (distribuição e comercialização) nenhuma empresa é propriedade dos produtores, para não haver favorecimento do comercializador do grupo.

A comercialização já vai ser liberalizada. Perspectivo é que a liberalização será feita sem ter em mente a quebra do monopólio de facto da EDP. Se a vertente de comercialização da EDP fosse partida em 3 e nenhuma dessas pertencesse ao grupo EDP Produção, então teríamos concorrência.


O negócio de distribuição de gasolina é um negócio de retalho sem grande especialização. Nem sequer requer grandes economias de escala. Bastaria não permitir que nenhuma gasolineira tivesse mais do que uma determinada quota de mercado (10% a 15%, por exemplo). Obrigava-se a GALP e Repsol a vender parte das suas lojas.

É muito simples e é feito em muitos países que valorizam a concorrência, ao invés de protegerem monopolistas e oligopolistas, cujas administrações estão ligadas ao poder político ou vieram mesmo de partidos políticos.


Anónimo
Pergunta simples: não seria mais fácil cumprir-se, EFECTIVAMENTE, a Lei?


JEM
Se seguirmos a lei, então iremos pagar todo o dinheiro das PPPs


A lei foi feita para manter privilégios das empresas patrocinadas pelo estado


Anónimo
Ó homem, não veja as coisas a preto e branco! O senhor toma todas as leis de uma vez só e dá-lhes um só nome. Vai dizer-me que todos os articulados do nosso quadro jurídico foram feitos de forma a possibilitarem as negociatas? A forma mais eficaz de manter o "status quo" é dizer que tudo é igual, pois, se tudo é igual, é impossível a mudança e a melhoria: é impossível mudar tudo ao mesmo tempo.


Joe Strummer

Anonimo, por favor não deixe que a realidade estrague a boa historia do JEM. Ele detem aquele dom cada vez mais raro que são os detentores da verdade em caixas de comentarios de blogues, É tudo uma conspiração, os outros são todos parvos e estupidos quando não corruptos. Uma verdadeira pérola, um heroi.

deixado a 13/7/12 às 07:27
link | responder a comentário | início da discussão

Joe Strummer

Acho o video panfletario e populista. Três tipos à volta de uma mesa, sem contraditorio, a fazer sangue e a resolver os males do país.

Claro que foram cometidos erros, muitos, mas não acredito que as pessoas dos varios governos foram todas desonestas e criminosas como se pretende insinuar.

Esta visão no entanto tem audiência e constitui um mercado apetecivel.

A questão da gasolina é basicamente uma questão de refinação como já foi explicado. Só existe uma refinaria. Outra questão é o imposto que o Estado cobra sobre os produtos, aí sim existe uma grande sobrecarga.

O País precisa de obras publicas estratégicas para acudir à sua periferização. Um novo aeroporto vai ser necessario no medio prazo a não ser que queiramos ver os voos das principais rotas passarem-nos por cima com destino a Madrid. O mesmo para a ferrovia de alta velocidade c/ligação a Sines e a outros pontos estrategicos.

A questão das empresas não é simples e depende das suas estruturas accionistas. Alem de que vivemos num mundo global e as empresas portuguesas necessitam ganhar escala. A Edp foi vendida aos chineses (mal) porque já tinha alcançado estatuto e escala a nivel internacional. Era apetecivel.Vamos a Espanha e é muito dificil ganhar concursos porque os espanhois priveligiam as empresas espanholas, bem como noutros países europeus. Todos protegem as suas empresas no mercado global e isso não é por acaso. A PT tenta ganhar escala atraves de acordos e a Galp tambem, partir essas empresas não tem sentido nenhum porque elas concorrem é no mercado internacional sendo o mercado nacional uma simples extensão. Parti-las era dar um brinde às grandes empresas internacionais que as abarbatavam num segundo.
É necessário equilibrio. Não quer dizer que as empresas tenham que progredir à custa das pessoas como se diz mas tambem não é o contrario que resolve o problema.

Não digo que não haja ou não tenha havido promiscuidades varias, alias o programa do José Gomes Ferreira é um exemplo disso mesmo. O que promove e quem promove.

deixado a 12/7/12 às 11:28
link | responder a comentário | discussão


Joe Strummer

António, como sabe bem ouvir um elogio logo pela manhã.Obrigado.

deixado a 12/7/12 às 12:20
link | responder a comentário | início da discussão

a minha alma está parva...


qualquer dia ainda vou ver um video do Medina Carreira aqui...

deixado a 12/7/12 às 11:46
link | responder a comentário | discussão

da Maia
eh eh...


Pois, se o pessoal saísse das suas casinhas ideológicas para apoiar estas denúncias, talvez conseguisse perturbar o silêncio onde sobrevive a corrupção.
Porque eu vi este programa, e também vi que nos dias seguintes o assunto morreu.


Conseguir estas denúncias em espaço televisivo já é difícil, e se isto é feito sem nenhum apoio subsequente dos restantes jornalistas, é um tiro de pólvora seca.

deixado a 12/7/12 às 15:43
link | responder a comentário | início da discussão

Vítor Badalinho
O que há de extraordinário nesta peça de jornalismo, que vale a pena ver ou rever, não é apenas o que os intervenientes dizem: é o que eles são. José Gomes Ferreira, Paulo Morais, Tiago Caiado Guerreiro e Armando Esteves Pereira são pessoas alinhadas à direita neoliberal, alguns dos quais defenderam com unhas e dentes no passado as políticas de austeridade, a troika, a dívida dos "sacrifícios para todos", os sacrossantos mercados, etc. Por isso isso é importante ouvi-los. E constatar que algo vai mudando nas consciências, até dos mais neoliberais.

deixado a 12/7/12 às 11:50
link | responder a comentário | discussão

Nuno
O josé Gomes Ferreira É liberal (ultra, neo, não sei)!
Ele DEFENDE a Troika! Ele ficou desiludido com a decisão do Governo não poder cortar os subsídios.
Ele concorda com a austeridade, e acha que devemos "mudar de vida" e cortar na despesa.
Nada disso mudou!
O que ele também defende é que nenhuma destas medidas serve se o Estado continuar a subsidiar meia dúzia de Lordes, seja com PPP, Fundações ou nomeações...


Carlos Marques
O José Gomes Ferreira é um dos bons, e não são muitos, aliás, são poucos, jornalistas do Grupo Impresa.

deixado a 12/7/12 às 13:55
link | responder a comentário | início da discussão

Joe Strummer

O Negocios da Semana não esta nada suspenso, encontrando-se o seu criador e apresentador a gozar um (espero) bem merecido período de férias. Voltará na ultima semana do mês. A informação acima foi colhida junto da SIC que é para onde as pessoas preocupadas com a eventual suspensão do programa e com a liberdade de imprensa devem ligar quando um programa desta estação é eventualmente suspenso por motivos misteriosos.

UFF!! Poupou-se o longo altar de mais uma virgem vitima da liberdade de imprensa ao serviço da verdade popular.

deixado a 12/7/12 às 16:57
link | responder a comentário | discussão

lembras-te do plano inclinado? numa das emissões calhou falarem da maçonaria.Isto até o mario crespo dar aquela emissão por terminada,como sempre dizendo que voltavam dali a uma semana.Ora nem 1 semana nem 2, nem 1 mes.O programa nunca mais voltou á antena da sic.Também alegaram ferias nessa altura.


Joe Strummer
Ah sim? Então o Crespo que fez uma peixeirada por lhe terem "cortado" a cronica no Expresso, calava-se? E o Crato mais o Medina, paladinos de não sei quantas verdades, tambem?
E o J.Gomes Ferreira não é sub director de Informação da SIC N? Que faziam, despediam-no? Por este programa, simulacro populista da politica de verdade?
Não Makarama. Devem é estar a pensar mudar de decor.
Na próxima temporada terão atras do apresentador um poste onde amarrarão um tipo que sera chicoteado a cada veredicto dos oraculos acusadores. Imagina: " O sr. x fez um negocio ruinoso o q prefigura uma eventual promiscuidade" e Zás o chicote atinge o tipo lá atras que coitado geme, "AI, AI sim sou culpado, por favor não digam mais nada" e pumba o Ferreira pergunta ao tipo que entrevista e acusa "Você acha que devemos ter pena destes tipos que nos puseram na miseria e viveram acima das possibilidades?" o outro acusa "Nem por sombras acho que temos que saber a verdade custe o q custar" e Zás outra chicotada. E assim por diante.
Que achas? Fixe não é?


strummer eu não sei qual o teu conceito de populismo, mas sei que alguém que diga que as ppp não causaram nenhum prejuizo ás finanças do pais, e que não existe corrupção em portugal, não pode ser levado a sério.Se falar de corrupção , de más práticas financeiras que só beneficiaram a mota-engil, e falar do atraso que é a nossa justiça é ser-se populista, então só posso concluir que o populismo neste caso é correctissimo.


Joe Strummer
 Não sei se as PPP's causaram muito ou pouco dano. Sinceramente. Ainda não vi um debate sério sobre o assunto para ter uma opinião final. Não me apetece é assitir à condenação de pessoas em publico ouvindo só um dos lados da questão durante semanas e meses a fio. Pelo contrario desconfio muito quando assim é.
Existe a justiça para tratar desses casos mas as caracteristicas do populismo é a sua ligação directa com as massas sem intermediação logo a falta de justiça premeia este tipo de populismo oportunista. Basicamente o que estão ali a fazer é julgar pessoas em directo sabendo perfeitamente o efeito que vão alcançar. Give people what they want, blood.Justicialismo mediatico.O resto é pura iliteracia politica.


errado e mentira o que dizes strummer.Para já, já houve imensos debates acerca do tema.E neste momento isso já é factual: o tribunal de contas já avaliou a questão e foi claro em apontar as responsabilidades.E para tu informação, a consultora ernst e young fez um relatório há umas semanas, e chegou á mesma conclusão.Portanto, ninguém neste momento está a julgar ninguém, neste momento já se investigoue já se apurou as responsablides.Eu sei que te doi,mas neste momento a questão já e um facto


Joe Strummer
 Quer dizer tu condenas só por aquilo que o TC e a E&Y  dizem. Com espiritos como tu esta assegurado o estado de direito democratico. Bem só de repente lembro-me do relatorio que foi divulgado e manipulado sobre as obras nas escolas o que se disse e no que deu. Tambem me lembro de uma acta  do juiz conselheiro Ernesto Cunha que contestava o relatorio do Tc de alto a baixo e por acaso chegou misteriosamente ao cacifo de um deputado do Ps na AR. Eu ao contrario do teu espirito justiceiro e altamente democratico  de só olhar para quem acusa prefiro o classicismo de esperar pelo contraditório e deixar falar as pessoas que percebem do assunto e nele estiveram envolvidos. não tenhas pressa Billy the Kid, justice will be made.
E não doi nada. Ainda não me percebeste.


estou do lado de quem avaliou as tais obras.É óbvio que os anteriores responsáveis já disseram que é tudo mentira, em especial, o paulo campos.Que foi logo desmentido pelo tribunal de contas e pela EeY.Porque haveriam estas duas entidades de mentir? o guilherme de oliveira martins, que é um socialista? que interesse tinha ele contra o proprio partido?.
Essa historia do cacifo está muito mal contada, visto que os cacifos do parlamento não teem vida propria e não me parece que possam ser legalmente arrombados para se meterem coisas lá dentro, a não ser o usurário do cacifo.Pelo que isso cheira-me fortemente a uma inventona do deputado do ps.
Sobre isso ver este post:http://doportugalprofundo.blogspot.pt/2012/05/ppps-declaracao-arrasadora-e-o.html

deixado a 12/7/12 às 22:35
link | responder a comentário | início da discussão

o strummer ainda vai chegar ao ponto de dizer, que o eliot ness e o roberto saviano são populistas, porque lutaram contra a mafia.


Joe Strummer

Se comparas este tipo de programa às duas pessoas que mencionaste o problema não está em mim Makarama, mas em ti.


est´´a mesmo em ti.Porque para ti vale de tudo para defender um governo que, embora tnha tido alguma sensibilidade social, foi também o governo que nos enterrou até ao pescoço com as ppp.Mas de qualquer forma, estes senhores não falaram só do ps, fica descansado.Referiram-se a todos os partidos em geral.O que eles disseram acerca da corrupção em portugal é um facto,e o pior cego é aquele que nao quer ver.Isso é populismo? Não, tu e mais uns quantos é que estão incomodados por razões óbvias, em certos assuntos serem discutidos.Mas ñão serás tu a impedi que a sociedade discuta esses problemas


Joe Strummer

Makarama, sai dessa lógica futebolistica.Não digo isto para defender o PS ou quem quer que seja, é uma questão de principio. Acho a facilidade com que hoje se condenam pessoas só porque a turba acende os archotes e apontam um alvo num dos piores indicios da grave doença que padecemos colectivamente. Não gosto de me sentir manipulado nem me sinto bem a "bater" em pessoas só porque os justicialistas do costume querem sangue. Não sou cobarde. E detesto autos de fé e  caçadas mediáticas.
Se quiseres a prova tens o caso Relvas acho que se ultrapassou o limite, embora a culpa seja dele pois só lhe resta a demissão. Não tenho prazer nenhum na autêntica caça ao homem que lhe estão a fazer, embora possas pensar o contrario.
Sempre achei um pouco cobarde e pornografico quando as hienas atacam os animais mais fracos e moribundos.
 
 
 


strummer, a liberdade de expressão existe aqui.No negócios da semana, não se julgava ninguém na praça publica, porque está provado que se produziram danos economicos com as ppp.Eu não tenho a menor razão para desconfiar do tribunal de conta e da EaY,não vejo o que ganhavam em mentir, e isso do documento secreto no cacifo é completamente ridiculo.Só falta mesmo que haja um julgamento, agora a equipa do governo anterior ao contrário do que voce disse, já contrapuseram, e já foram completamente desmentidos tanto pelo tc como a EaY.Ninguém quer sangue, strummer.Queremos que se faça justiça aonde há indicios de crime,que é o que acontece nos paises mais desenvolvidos do mundo.Numa Inglaterra ou numa Alemanha, esses senhores já tinham sido julgados há não menos de 3 ou 4 anos.

deixado a 13/7/12 às 00:05
link | responder a comentário | início da discussão

quanto ao primeiro paragrafo: pois poiis, foi para mudar o decor, foram de ferias.Toda a gente sabe que o balsemão faz parte também do grupo da maçonaria.Populista e tal,mas diziam verdades terriveis Dai o plano inclinado ter sido deitado abaixo da antena.Tal como parece que vai acontecer a este.


Joe Strummer

Ah! Aí está o Balsemão faz parte da maçonaria. OK Makarama, caso resolvido!

deixado a 12/7/12 às 21:43
link | responder a comentário | início da discussão

JEM
Desista Makarana


O Joe Strummer é o Sócrates himself


Não gaste o seu latim


Joe Strummer

Neste caso é mais Platão. A alegoria da caverna ilustra perfeitamente o que esta em causa.

deixado a 13/7/12 às 09:24
link | responder a comentário | início da discussão

Comentar post

pesquisa
 
TV Arrastão
Inquérito
Outras leituras
Outras leituras
Subscrever


RSSPosts via RSS Sapo

RSSPosts via feedburner (temp/ indisponível)

RSSComentários

arquivos
2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


2007:

 J F M A M J J A S O N D


2006:

 J F M A M J J A S O N D


2005:

 J F M A M J J A S O N D


Contador